DA PREOCUPAÇÃO À AÇÃO
ARTICLES • 29-06-2018
DA PREOCUPAÇÃO À AÇÃO

 


 
Dois planos regem a nossa existência: o plano da ação, do mundo da forma - aquilo a que chamamos o Real - , e o plano da nossa experiência, cá dentro da nossa cabeça, as nossa emoções e os nossos sentimentos e a nossa consciência de estarmos vivos nesse contexto real. E é notável como eles não se correlacionam de uma forma linear.

O primeiro, o mundo da forma, rege-se por importantes leis, tipicamente do mundo das ciências. Por exemplo, sabemos que um corpo sólido em vácuo acelera ao ritmo aproximado de 9,8m/s2. Sabemos também que, em vácuo, uma bola de bowling demora tanto tempo a cair como uma pena (para os mais curiosos, têm a divertida experiência disso mesmo, aqui). Noutros campos, idênticas leis de expressam: sabemos que o dinheiro e a sua gestão no nosso dia-a-dia segue regras bastante elementares e aritméticas, que se a nossa alimentação for má e não exercitarmos o corpo a nossa saúde degrada-se, que se atravessarmos a rua sem ver se vem algum carro, estamos a expor-nos a uma estatística nada favorável. Este é o mundo da forma, do real, do fenómeno, do observável.

Já do lado da Experiência, nada se passa assim. Aquilo que sentimos, aquilo que vivenciamos enquanto seres conscientes da nossa experiência, embora aqui ou ali informado pelo enredo do filme em que participamos como personagens principais, é algo totalmente diferente. Dependente dos efeitos especiais que construímos ativamente dentro da nossa cabeça. Facilmente podemos tornar um dado episódio numa cena cómica de um filme de domingo à tarde, ou carregá-la de violinos dramáticos, ou de bombos assustadores, cores escuras, e uma sensação de suspense que prenuncia o fim do mundo. Falamos do mesmíssimo episódio de olhar para um saldo de conta a zero, a produzir, dentro da nossa cinematografia dos significados, resultados TOTALMENTE distintos: um "Pianista" absolutamente desistente e depressivo, um "Poltergeist" aterrador, ou um entusiasmante "Guerra das Estrelas - o império contra-ataca". É realmente notável o que o nosso departamento mental de FX consegue!...


O resultado disto é especialmente importante para a nossa presença e atuação no mundo real dos factos. Ou seja, dependendo do teor filme que a mente constrói, podemos ver-nos sequestrados da capacidade de fazer aquilo que é preciso fazer, na prática, no real, para interagirmos com o enredo, eventualmente alterando-o a nosso favor. Na verdade, vejo muitas vezes pessoas com enorme potencial para mobilizar ação no sentido de fazer acontecer aquilo que querem fazer acontecer, mas imobilizadas pela preocupação em que vivem dentro das suas cabeças. Metaforicamente, é como ver alguém no meio da estrada, apreciando um camião aproximar-se perigosamente, e que de tão assustada se imobiliza, ao invés de dar uma corrida para a segurança do passeio.

De facto, tanto que nos preocupamos a ver se não falhamos, mas depois os pequenos passos concretos, que é bom, népias! Ficamos apenas a marinar no enredo mental da preocupação... Isto dá que pensar!... Porque, caso percebêssemos que o mundo cá fora é muito menos importante do que parece, e a sua relação com a nossa experiência uma mera ilusão, poderíamos fazer bem mais do que fazemos. Poderíamos saltar para o passeio, saltar por cima do camião, projetar-nos no espaço tipo super-homem, desaparecer no meio do chão numa tampa de saneamento... enfim, tudo menos ficar à espera de sermos atropelados apreciando os miolos espalhados pelo alcatrão fora...

É, de facto, saber que em cada momento a única coisa que precisamos de fazer é fazer o que há a fazer, é um alívio. Porque esse pequeno passo evidente, em si, é tão simples, e tão automático, que só enormes filmes mentais sobre o que poderá estar no passeio que nos vai morder é que nos podem imobilizar... Felizmente, esses filmes também são um mero pensamento, e, chegando ao passeio, saberemos que próximo passo dar, simples, automático, evidente e muito mais descomplicado do que cá por dentro teimamos em inventar!
 
 
 
 
 
Gonçalo Gil Mata
 
 
 

 

(Foto: Punta Arenas, PATAGONIA)

 

PS - Venha explorar esta relação entre o mundo da ação e o mundo da experiência num dia fantástico dedicado a si. Explore a ilusão da sua realidade e permita-se a possibilidade de transformar de forma inesperada toda a sua vida por dentro, sem necessariamente ter que mudar muita coisa cá fora! Venha analisar o seu ponto de situação existencial, repensar o seu rumo, reestruturar o seu foco, enfim, venha Reinventar-se connosco! Estará em boas mãos...

 

 

Leave a comment:

Name *
E-mail
Message *
Verification